Linhas Gerais

  Bi-fuel

Bi-fuel

A tecnologia de conversão Bicombustível ComAp modifica o motor original de geração a diesel para que se utilize gás natural como combustível principal - reduzindo substancialmente os custos de operação. O funcionamento se dá através da introdução de gás no motor e controlando eletronicamente o fluxo de gás no motor em função da velocidade e da potência do gerador.
A conversão bicombustível não faz a modificação do motor, além de trazer benefícios para cada aplicação.
  • Motores diesel acessíveis combinados com gás natural barato
  • Solução econômica para motores de baixa, média e alta velocidade
  • Uso flexível de combustível (utiliza-se o gás que normalmente seria considerado como um subproduto)
  • Potência de saída garantida
  • Operação eficiente e segura com menores emissões
  • Aumento da vida útil do motor e custos de manutenção reduzidos 

 

O QUE É A OPERAÇÃO BICOMBUSTÍVEL?

Operação bicombustível significa que o motor usa dois combustíveis (gás e diesel) ao mesmo tempo. O gás natural destina-se a ser o principal combustível e o diesel é utilizado para a ignição da mistura gás / ar no interior do cilindro, (uma porção de diesel é injetada no final do curso de compressão, mantendo assim o princípio de funcionamento original do diesel).

COMO FUNCIONA?

O gás é misturado com o ar por um misturador comum instalado antes do(s) turbo(s) compressor(es). O fluxo de gás é controlado por uma válvula borboleta, que é operada eletronicamente pelo sistema de controle ComAp InteliBifuel, de acordo com a potência e velocidade necessárias para o motor.

O gás é injetado no coletor de admissão do cilindro por válvulas eletromagnéticas de gás individuais instaladas próximas das válvulas de sucção. As válvulas eletromagnéticas são temporizadas e controladas separadamente pela unidade de controle de injeção ComAp INCON.

Este sistema interrompe o fornecimento de gás ao cilindro durante a longa sobreposição das válvulas de sucção e de escape (típico para motores de baixa e média velocidade - enquanto a limpeza do cilindro pela sobreposição de válvula é executada). Evitando perdas substanciais de gás e prevenindo que o fluxo perigoso de gás alcance o coletor de escape.

QUAL É O FATOR DE REDUÇÃO DE SAÍDA PARA UM GERADOR CONVERTIDO?

Após a conversão, a potência nominal do motor não é reduzida em nada. Os parâmetros do motor, tais como a temperatura de escape, a temperatura do motor e o comportamento, permanecem dentro dos limites estabelecidos pelo fabricante do motor antes da conversão (desde que estes parâmetros estejam dentro dos limites antes da conversão). O fator de redução da potência de acordo com as condições ambientais permanece o mesmo.

É NECESSÁRIO OPERAR UM GERADOR CONVERTIDO APENAS COM GÁS NATURAL ?

Não, a transição entre os dois modos (de bicombustível para diesel e vice-versa) pode ser feito enquanto o motor está funcionando, sem interrupção da alimentação da carga e é um processo muito suave. O motor partirá sempre utilizando diesel e o modo operacional alterará para bicombustível quando um nível de carga predefinido for alcançado. No caso de falta de gás, a transição é imediata sem causar problemas no potência atual do motor, válvulas de gás são desligadas automaticamente e o motor continua em operação utilizando diesel puro. Uma vez que o fornecimento de gás volta a funcionar, o motor é alterado novamente para a operação bicombustível.

COMO A CONVERSÃO AFETA OS CUSTOS DE MANUTENÇÃO?

Os custos de manutenção após a conversão não serão afetados. As peças substanciais do motor permanecem inalteradas, todas as peças mecânicas novas são feitas de material resistente (o intervalo de manutenção para as válvulas de gás eletromagnéticas é de 6000 horas de funcionamento), e os sistemas de controle eletrônicos são inteiramente automáticos. Além disso, operação com gás significa menor carbonização das câmaras de combustão e turbo compressores, de modo que o intervalo para descarbonização e revisão do motor é prolongado.

BIOGÁS PODE SER USADO PARA OPERAÇÃO BICOMBUSTÍVEL DO MOTOR?

Em geral, sim. Para isso, é necessário conhecer a composição do biogás e o valor calórico para avaliar se o tipo de biogás em particular é adequado. O valor calórico pode ser um problema, pois o biogás é derivado de diferentes fontes, e em muitos casos é de baixo poder calórico. Temos que injetar um volume suficiente de gás no cilindro para substituir diesel (ou seja, substituir a energia entregue pelo diesel). Se a qualidade ou quantidade do biogás mudar, o sistema ajusta dinamicamente o sistema para manter a potência de saída constante.

 

InteliBifuel 2

InteliBifuel 20